Sexta-Feira, 14 de Junho de 2024

ABL na ASL tem Antônio Torres na palestra do Chá Acadêmico de maio

A entrada é franca, o evento é presencial e o traje é esporte

Autor: Assessoria ASL





Antônio Torres - imortal escritor da Academia Brasileira de Letras premiado, entre outros, com o Prêmio Machado de Assis, concedido pela ABL; ganhador do Prêmio Jabuti; e condecorado pelo governo francês por seus livros traduzidos na França com o Chevalier des Arts et des Lettres -, é o palestrante do Chá Acadêmico do mês de maio na Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, excepcionalmente nesta quarta-feira, dia 29, em função dos feriados.

 

O evento faz parte do projeto “ABL na ASL: Palestras Imortais”, realizado pela Academia em parceria com a Setesc – Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura através da Fundação de Cultura do Estado de Mato Grosso do Sul para difundir, estimular e valorizar a leitura e a educação no Estado.

A palestra é presencial, com entrada franca e o traje é esporte, no auditório da ASL, na rua 14 de Julho, 4653, em Campo Grande, às 19h30min. O tema da palestra será “Eu venho lá do sertão... E posso lhe agradar”, e segundo Antônio Torres “trata-se de um passeio por um velho cenário, há muito tempo considerado um terreno exaurido para a criação literária, e que volta a ter uma forte presença no imaginário nacional, com resultados surpreendentes. Como é o caso de Torto Arado, romance de Itamar Vieira Júnior que tem ao fundo o sertão baiano da Chapada Diamantina”. Para o imortal, “este é só um exemplo do quanto a literatura brasileira vem se revigorando pelas veredas da temática sertaneja”.

O presidente da ASL, Henrique de Medeiros, reafirmou a importância do projeto ABL na ASL para a Cultura no Estado, abrindo mais caminhos ainda para a discussão literocultural. Após Antônio Torres, haverá palestras até novembro em Mato Grosso do Sul dos imortais da ABL Ana Maria Machado, Godofredo de Oliveira Neto e Ricardo Cavaliere. Pela ASL, os imortais que ainda participarão das Rodas Acadêmicas até novembro serão Ana Maria Bernardelli, Elizabeth Fonseca, Henrique de Medeiros, Lenilde Ramos, Raquel Naveira, Rubenio Marcelo, Sérgio Cruz e Sylvia Cesco.

UFMS E CONFRARIA SOCIARTISTA

O Chá Acadêmico de março terá ainda a continuidade dos projetos com a UFMS e a Confraria Sociartista. O projeto “Arte na Academia” realiza exposições de artes visuais nas Rodas e Chás Acadêmicos, bem como o projeto “Música Erudita e suas Fronteiras”, realizado em parceria pela ASL e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul dentro do projeto “Movimento Concerto” aborda apresentações musicais eruditas. Haverá ainda participação, com interpretações instrumentais na confraternização do evento, do músico Otávio Neto.

ANTÔNIO TORRES

Nascido no sertão nordestino (Sátiro Dias, Bahia, 1940), Antônio Torres descobriu a vocação literária na escola rural da sua infância, na qual se lia poesia e textos em prosa em voz alta todo dia. Logo, passou a escrever as cartas das pessoas do lugar e a recitar poemas em praça pública no Dia da Bandeira e no Sete de Setembro, e a ajudar o padre a celebrar a missa – em latim! Esse tempo ficou gravado em sua memória, e marcaria o seu destino de escritor.

Sua estreia literária se deu em 1972, com o romance Um cão uivando para a Lua, que causou um grande impacto na crítica e no público. De lá para cá, publicou 19 livros, entre os quais se destacam a Trilogia Brasil (Essa Terra, O cachorro e o lobo, Pelo fundo da agulha), Meu Querido Canibal, e Querida Cidade - seu 12º. romance, de 2021 -, assim como o livro de contos Meninos, eu conto, já na 15ª. edição. Sua premiada obra, que passeia por cenários urbanos, rurais e históricos, tem várias edições no Brasil e traduções em muitos países, da Argentina ao Vietnã. Torres é membro da Academia Brasileira de Letras, na qual ocupa a cadeira 23, fundada por Machado de Assis; da Academia de Letras da Bahia, onde sucedeu a João Ubaldo Ribeiro; da Academia Petropolitana de Letras; da Academia Contemporânea de Letras (São
Paulo) - e é sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa.

ADRIANA TEIXEIRA, LUCIANA RONDON E LÚCIA MONTE SERRAT

Três integrantes da Confraria Sociartista participarão da exposição de artes visuais do mês de maio, dentro de suas linguagens visuais distintas, sob o tema “Paisagens e Colagens que vibram e iluminam”.
Adriana Teixeira, artista visual e grande admiradora dos pintores expressionistas e modernistas traz em suas obras temáticas relacionadas ao afeto, à família, à amizade, à maternidade. A figura feminina é recorrente em suas telas e é comum aparecerem circundadas por flores e folhagens na composição de seus trabalhos. Luciana Rondon, artista visual, psicóloga e escritora, tem pinturas presentes no livro “No Mundo Encantado de Luciana”, e já expôs em diversas instituições e mostras de artes. Lúcia Monte Serrat é formada pela Escola de Belas Artes de Curitiba, mestre em Educação e professora.
Seus trabalhos de pintura percorrem diversos caminhos, desde figuras femininas a pinturas carregadas de densidade e cores vibrantes. Além de exposições, participou da publicação de livros sobre as artes visuais em Mato Grosso do Sul.

JOEL MENDES

Realizado em parceria pelas ASL e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, o projeto Movimento Concerto - da UFMS -, com sua vertente “Música Erudita e suas Fronteiras” terá apresentação abordando Marco Pereira, Fernando Deghi e João Pernambuco. As interpretações serão pelo violonista Joel Mendes, com Licenciatura em Música da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e que atualmente leciona o instrumento violão pelo DEAC (Divisão de Esporte, Arte e Cultura) da REME (Rede Municipal de Ensino de Campo Grande). Joel iniciou seus estudos de violão aos 11 anos de idade e foi integrante da Orquestra de Violões de Campo Grande – OVCG. Estudou com Marcelo Fernandes e Anderson Francellino e participou de vários cursos e masterclasses com renomados violonistas, entre eles: Paulo Porto Alegre, André Simão, Luciano Moraes, Edelton Gloeden, Ana Cristina Tourinho, Edmauro de Oliveira, Gilson Antunes, Fabio Zanon, Turíbio Santos, Pedro Jesus, Henrique Annes.


Serviço

Chá Acadêmico
ABL na ASL, Palestras Imortais

Antônio Torres
“Eu venho lá do sertão...
E posso lhe agradar”

Dia 29 de maio de 2024, às 19h30min
(Com os projetos “Música Erudita e suas Fronteiras”, com a UFMS; e “Arte da Academia”, com a Confraria Sociartista)

Auditório da ASL, Rua 14 de Julho, nº 4653 (Altos do São Francisco)

Entrada franca, evento presencial, traje esporte

 

Fonte: Assessoria ASL

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

67 992841904

© 2024 FESTASEVENTOSTV. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: